Diário de um sonhador – Parte 2: Wenger ‘vira Conte’ e transforma Arsenal após vexame

Getty
Getty

Wenger terá uma semana para pensar e voltará com formação inovadora para time Gunner


Alguns times ressurgem das cinzas quando menos se espera, e treinadores descobrem alternativas após grandes catástrofes. Já que sonhar é de graça, vamos esquecer que Arsene Wenger está há mais de 20 anos no Arsenal e que, nas últimas temporadas, o roteiro parece sempre estar pronto e fadado ao fracasso.


Se o Chelsea virou da água para o vinho sem grandes reforços e com uma mudança tática, por que não nós?


Lembremos: dia 24 de setembro de 2016, no Emirates Stadium, o Arsenal atropelou o rival londrino e foi para o intervalo vencendo por 3 a 0. No segundo tempo, Antonio Conte colocou Marcos Alonso, transformou o Chelsea em um 3-4-3 e começou ali a montar o time que ganhou a Premier League de forma incontestável (mesmo tendo perdido aquela partida por 3 a 0).


Na temporada, o Chelsea fez quatro contratações caras, sendo que Kanté foi a única unanimidade. David Luiz, Alonso e Bathsuayi despertavam dúvidas, mas Conte transformou a equipe em uma máquina - se não brilhante, muito eficiente.


Quem sabe, então, os Gunners voltam da Data Fifa com uma formação tática inovadora. Afinal, Wenger terá mais de uma semana para planejar. Além disso, Koscielny, Ozil e Lacazette lembrarão que é ano de Copa, e jogarão no auge de suas performances. Por fim, os medianos (Monreal, Bellerin, Xhaka, Ramsey e companhia) serão eficientes, como Azpilicueta, Marcos Alonso e Moses foram no Chelsea, fazendo o trabalho sujo na defesa e até tendo um brilhareco lá na frente.


Assim, daqui a uma semana e alguns dias, um novo Arsenal surgirá, com o mesmo técnico e os mesmos jogadores.


Mas isso, claro, é só um sonho distante.


Leia mais: Diário de um sonhador: Parte 1 – Thomas Tuchel no Arsenal para o lugar de Wenger