Fato novo: Arsenal precisa ficar de fora da Champions

Getty
Getty

Wenger poderia pegar o caminho de saída para o time se refazer


No futebol brasileiro, a demissão sem razão de alguns técnicos é explicada pelos diretores devido a necessidade de “um fato novo”. No Arsenal, a situação é oposta, já que ninguém aguenta mais o treinador e espera-se que ele saia ao final da temporada após 20 anos no cargo.


No nosso caso, também é necessário um fato novo: ficar de fora da Champions League.


Wenger leva o Arsenal consecutivamente para o maior torneio do continente há 19 anos. Se a decisão sobre a permanência ou não for tomada ao final da Premier League (o que parece que não vai acontecer), talvez a falta do dinheiro proveniente da não classificação assuste os dirigentes, que só pensam em dinheiro.


Com um novo comandante, os Gunners podem se reconstruir sem a necessidade de jogar quarta e domingo, como o Chelsea vem fazendo esse ano. Os Blues, aliás, provam que a ausência na Champions – se ocorrer apenas por uma temporada -, não afasta grandes craques. Diego Costa, Hazard e Courtois seguiram no clube, enquanto David Luiz e Kanté foram contratados mesmo diante dessa situação.


É preciso um projeto. É preciso seriedade. E isso só acontecerá com um novo treinador.


Por mais que torcer contra seja impossível, o Arsenal precisa ficar de fora da Champions League. E também não pode inventar de vencer a Copa da Inglaterra.