A Premier League começou emocionante até demais para o Arsenal

Se o jogo contra o Leicester foi um resumo de como será a temporada, o coração do torcedor vai ser testado constantemente. Depois de 83 dias, pudemos matar a saudade da melhor liga do mundo e dos grandes jogos no Emirates. Da preocupação ao êxtase. Uma virada incrível, pra encher nossos olhos. Não devemos deixar de lado os erros defensivos que tivemos, as falhas de Cech e o típico período em que o time se acomoda. Mas, perante um resultado desses, o que temos que fazer é sorrir pelo que foi o jogo.


Xhaka e Elneny formam uma boa dupla de volantes. Com o retorno de Özil, o Arsenal, como sempre, teve a posse de bola. O alemão não estava 100%, mas deu qualidade no passe. Passes que foram trocados até a bola chegar em Lacazette. Primeiro toque na Premier League. De cabeça colocou a bola no gol. Sequer precisou sair do chão.


Entramos em estágio de desespero. Logo o Leicester empatou e virou. A defesa está mal. Jogamos com uma zaga improvisada, já que Mertesacker não atuou, Koscielny está suspenso e Mustafi segue sem ritmo. Com isso, o único da posição era Holding. Cech também foi mal e voltaria a ser no segundo tempo, no terceiro gol da rápida e ousada equipe de Craig Shakespeare. Nos contra-ataques nos fizeram gelar a espinha.


Getty Images
Getty Images

Giroud, que homem


Não assisti ao jogo. Estava em viagem e o que me restou foi acompanhar por uma rádio espanhola. Por ela ouvi o narrador ir a loucura com o gol de Welbeck. Gol que poderia ser de Kolasinac (que homem), mas solidariedade é o que mais há no bósnio, destaque de uma equipe que ainda precisa melhorar - e vai.


Fomos para o intervalo com o placar em 2x2. Era questão de tempo a virada, pensei. Mas o que aconteceu foi um time apático nos primeiros minutos da etapa complementar. Vardy fez 3x2. Nesta hora você esquece completamente de querer fazer análise técnica e comportamento tático. Só quer a vitória.


Wenger fez mudanças. Ramsey entrou para ajudar a decidir. Assim como Giroud. Sempre ele. Já na reta final Xhaka deu um SENHOR passe para o galês que soltou o pé e deixou tudo igual de novo. Que jogo.


Em texto anterior, de pré-temporada, falei que Lacazette e Giroud juntos, em situações normais, não rola. Ontem não foi uma situação normal. Tínhamos pouco tempo para virar. E funcionou. Bola na área. O zagueiro do Leicester agarra, puxa e faz de tudo para parar Giroud, mas a bola para é no fundo das redes. Virada ótima, alívio total.


Ganhamos e conquistamos os três pontos. Isso é o que importa, pelo menos agora neste final de semana de Premier League. As análises críticas a gente deixa pro meio da semana.