Arsenal 3x1 Sydney Wanderers: Giroud e Lacazette juntos não dá

Getty Images
Getty Images

De zagueiro, Elneny deixou o seu; e quase fez o segundo em belo chute de longe


Após vencer o Sydney FC por 2 a 0, o Arsenal voltou a entrar em campo neste sábado (15), para seu segundo e último amistoso na Austrália. Diante do Western Sydney Wanderers, Arsène Wenger apostou em um time titular diferente do que entrou em campo na quinta-feira. Sem Cech e Malen, que não participaram do jogo, o técnico apostou em Ospina e outros medalhões para começar jogando. Uma equipe bem mais forte.


O que chamou atenção foi a ousadia do francês em apostar em Giroud e Lacazette juntos.


Mais uma vez no 3-4-2-1, os gunners entraram com o colombiano no gol; Koscielny, Elneny (sim, na zaga) e Monreal; Chamberlain e Niles abertos pelos lados com Ramsey e Xhaka pelo centro; Iwobi e Lacazette fazendo a linha atrás de Giroud, que comandou o ataque.


Assim, o Arsenal foi mais agressivo. Com técnica no meio e forte poderio ofensivo, parecia que os gols saíram com facilidade. Mas somente aos 33 minutos o placar foi aberto. Monreal fez ótima jogada pela esquerda e encontrou Giroud, que com um toque balançou as redes.


Foi o famoso “abriu a porteira”. Aos 37, Monreal deu um lançamento lindo e deixou Ramsey na cara do gol. Com um toque por cobertura, o meio-campista marcou o segundo. Sete minutos depois, foi a vez de Elneny deixar o seu. Na volta do intervalo, o egípcio quase fez mais um, em um chutaço de fora da área.


A propósito, a palavra ‘quase’ foi o que prevaleceu para o Arsenal no segundo tempo. Mesmo com as diversas mudanças, entre elas a entrada de Özil, a bola insistiu em não entrar. Ponto positivo para Iwobi, que está em ótima fase e nas duas partidas se mostrou afim de jogo. O jovem Nketiah também entrou bem.


O ritmo do jogo foi outro e o Wanderers marcou o seu gol. Em cobrança de falta dentro da área, por recuo de bola, Lustica diminuiu o placar.


Depois, o Arsenal só gastou o tempo até o apito final.


Lacazette fez boa partida. A cada jogo, fica evidente que dará certo como jogador do Arsenal. A questão é que jogá-lo para o lado é um pecado. Ele e Giroud não podem atuar juntos. O camisa 9 ficou deslocado na esquerda, tendo que se movimentar muito mais do que o necessário.


Não sei o que Wenger queria testar, mas a lógica prevaleceu. Tal situação só cabe em momentos de puro pânico. Em situações normais, só há espaço para um.


Mas é verdade que estamos apenas na pré-temporada e todo tipo de teste é viável. Alguns dão certo e podem ser interessantes, como usar Bielik e Elneny na zaga, outros não. Tomara que tenha ficado claro para o técnico qual foi a avaliação de usar a dupla como titular no ataque.


Os compromissos do Arsenal na Austrália acabaram. Agora, a equipe viaja para a China, onde disputará a International Champions Cup. No dia 19, às 8h20, enfrenta o Bayern. Três dias depois, dia 22, encara o rival Chelsea, às 8h40.