Não existe maldição: o gol de Ramsey que salvou uma vida

Stuart MacFarlane/Arsenal.com
Stuart MacFarlane/Arsenal.com

Aaron Ramsey posa ao lado de Rohit no desembarque do Arsenal em Sydney


Wilshere encontra Sanogo na área. O francês se atrapalha com a bola e ela sobra para Giroud, que de calcanhar ajeita para Ramsey. De pé direito, o galês põe fim a uma fila de nove anos sem títulos.


Fim de angústia, que teve seus últimos 120 minutos de muita tensão. O Hull City vencia por 2 a 0. Empatamos e, na prorrogação, viramos o jogo. Que dia.


Você comemorou esse gol incansávelmente? Se sentiu livre de um mal que cercava o Emirates Stadium e consequentemente nos fazia sofrer e ser alvo de piadas?


Isso tudo não foi absolutamente nada perto do que Rohit Padmanabhan teve de enfrentar. O australiano, com 20 anos na época, sofria de depressão há três anos, após perder um companheiro de longa data e ter de lidar com a morte de sua avó. Em 2014, enfrentava uma crise terrível. Remédios e mais remédios. No entanto, tudo mudou após a final da FA Cup.


"Eu senti uma onda de alegria inexplicável. Eu senti que eu poderia acreditar na vida novamente e que a esperança é uma das coisas mais maravilhosas para agradar a Terra”, disse Rohit.


Encontro com o herói


Três anos depois, Padmanabhan sentiria uma nova onda de felicidade. Na última segunda-feira (10), no desembarque da delegação do Arsenal em Sydney, lá estava ele. E com algo diferente.


Ciente de que o Arsenal faria sua pré-temporada na Australia, para homenagear Ramsey, o torcedor fez uma tatuagem da comemoração do gol do galês diante do Hull City. O gol salvador. Foi para o aeroporto, esperou durante 5h a chegada do avião e tudo foi recompensado.


O jogador do Arsenal deu toda a atenção devida a Rohit e em entrevista ao jornal Islington Gazette, o torcedor não conteve a emoção ao descrever o momento do encontro.


"Quando Aaron Ramsey me disse para caminhar com ele e contar-lhe um pouco da história por trás da tatuagem, não consegui acreditar na minha sorte. Minhas emoções estavam por todo o lado, mas, felizmente, consegui pegar seu autógrafo diretamente na minha tatuagem”, disse.


E prosseguiu: “Eu disse a ele que ele muda vidas e que, mesmo que ele seja duramente criticado por muitos, acho que não há ninguém tão especial quanto ele. Me disse que ‘ninguém fez isso antes’ e me perguntou o que me fez decidir seguir em frente. Ele simplesmente parecia tocado e estava feliz por ter meu momento com ele”.


"É por isso que eu fiz a tatuagem - para me lembrar que o destino sempre pode ter algo de bom para você, mesmo nos momentos mais sombrios", concluiu Rohit.


Aquela tal “Maldição de Aaron Ramsey” cai por terra. Temos uma história de verdade. Mais um episódio da série “futebol é mais que apenas um jogo”.


Tudo por conta de um gol que já significava muito. Agora passa a importar ainda mais.


Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

A tatuagem: Rohit registrou momento da comemoração de Ramsey após gol diante do Hull City