Wilshere: nova fratura e fim da linha com o Arsenal

Nos idos de novembro do ano passado, a renovação de Jack Wilshere já parecia improvável, com o próprio enchendo seu retorno de dúvidas. Depois de uma temporada decepcionante coroada com uma nova fratura por estresse na perna, a questão se tornou mais para quem conseguiremos vendê-lo do que qualquer coisa.


Ele teve tudo o que precisava para se reconstruir no Bournemouth: um time que jogava para ele, um calendário repleto de descanso e um técnico compreensivo com toda e qualquer necessidade física dele. Mesmo nesse ambiente extremamente compreensivo, o fracasso foi inquestionável.


Getty Images
Getty Images

Seja por falta de esforço ou azar, seu corpo não aguenta o futebol profissional


Daquela temporada monstruosa que ele fez aos 18 anos, só restam as memórias. Aquela capacidade de verticalizar o jogo e quebrar as linhas sumiu.

De certa maneira, é triste ver mais um bom talento perdido em lesões. Por outro lado, ele foi um cara que não se cuidou, sempre flagrado em bebedeiras durante suas reabilitações, algo que atrapalha a regeneração de tecido mole e tudo mais.


Seja como for, não é aceitável que ofereçamos uma renovação contratual para um jogador que não tem nada a oferecer dentro do nível que operamos. É bem possível que ele se torne uma "loucura de verão" para um dos times menores que, apesar de endinheirados, têm dificuldades em atrair jogadores realmente bons. Já até consigo vê-lo sendo tratado como gênio no Brighton ou no Palace.