Segurem as cornetas contra Bellerín

Eu andei pensando no que faz o torcedor se virar contra os melhores jogadores do time. Surgiu a teoria de que os ruins a gente já corneta no dia a dia e, portanto, ir atrás dos destaques é uma forma de demonstrar o quão irritados com a situação estamos.


Bellerín vem sendo uma revelação tremenda para o Arsenal. Entrou num momento de dificuldade na posição e logo se tornou incontestável, evoluindo bem no lado defensivo e apresentando um jogo ofensivo consistentemente bom por dois anos ininterruptos.


Sim, ele não está jogando absolutamente nada nos últimos meses, mas quem está? Ademais, cumpre lembrar que ele ainda carrega uma lesão no tornozelo que precisa de cirurgia. Ele está jogando porque não há outro lateral direito no elenco que seja usável. Mais do que ver seus erros de passe, impressiona ver como sua velocidade anda limitada.


Getty Images
Getty Images

Menos revolta com quem tem tanta bola


É fácil esquecer que, além da citada lesão e de ter sofrido uma baita concussão, ele ainda é um jogador jovem, sujeito a flutuações de rendimento. Dizer que ele "se perdeu porque deixou o cabelo crescer e está cheio de vaidade" é um achismo moralista tremendo.


Note após os jogos que Bellerín é um dos poucos que ainda vai ao canto da torcida visitante reconhecer o apoio dos torcedores, que ainda dá entrevistas em vez de se esconder durante uma dificuldade.


Chega a ser paradoxal o tratamento que ele recebe. Ao mesmo tempo, consegue ser marcado como enganação e símbolo da nossa falta de ambição porque certamente está de malas prontas não sei para onde.


Seguimos tendo o melhor lateral direito sub 23 do mundo, como temos vários outros jogadores extremamente capazes que não estão jogando o que sabem. O problema não está nas quatro linhas.