Fluminense acerta, e Richarlison no Watford fará América-MG faturar ainda mais

O que era certo finalmente aconteceu. O Fluminense precisava de dinheiro e se desfez do ainda jovem e bastante promissor atacante Richarlison, 20 anos, que o América colocou na vitrine mundial no segundo semestre de 2015.


Vendido ao Watford, da Inglaterra, por R$ 46 milhões, cabe ao Coelhão o montante de pouco mais de R$ 9,5 milhões, já contando com a porcentagem do mecanismo de solidariedade da FIFA por ter participado da formação do atleta.


Juntando com os R$ 10 milhões da negociação com o Fluminense, em dezembro de 2015, o América terá embolsado quase R$ 20 milhões por Richarlison, um dinheiro e tanto para o clube.


Mas a boa notícia para o Coelhão não acaba aí.


Richarlison poderia ter ido para a Roma ou o Ajax, mas o fato de passar a defender o Watford, apenas o 17º colocado na Premier League da temporada passada – se salvou da degola por seis pontos –, é ainda melhor para o América.


Claro que os ingleses pagaram mais ao Fluminense do que os concorrentes, mas o clube carioca pensou no futuro ao negociar o jogador com o Watford.


Explica-se.


Não há comparação entre a exposição e a força da Premier League em relação ao Campeonato Italiano ou Holandês, nos quais Richarlison teria mais espaço para se destacar em razão do menor número de times expressivos, mas também custaria menos para um grande clube europeu. Vale lembrar que o futebol holandês dos tempos de Ronaldo Fenômeno e Romário ficou no passado. E o futebol italiano, hoje, é apenas a Juventus.


Divulgação/América Mineiro
Divulgação/América Mineiro

Richarlison tem ascensão meteórica. E o América-MG fatura - e faturará - muito com isso


Richarlison não vai disputar Champions League ou Liga Europa no Watford, mas não faz mal. É muito importante – para América e Fluminense – o fato de o clube ser mediano na Premier League.


O Watford é como o Porto, uma porta de entrada para um clube top na Europa. Mas com a vantagem de estar na Premier League, não no fraco Campeonato Português.


Ou seja, caso se destaque no difícil teste que é a Premier League, o atacante ainda terá muito mercado no futebol europeu e será vendido por ainda mais dinheiro, quem sabe para um Real Madrid ou Barcelona.


Estar na Premier League também aguçará a observação de Tite. Uma convocação para a seleção brasileira poderá valorizar ainda mais Richarlison.


E isso levará mais dinheiro aos bolsos do Fluminense, que ainda tem 10% dele, e do América, que tem direito ao mecanismo de solidariedade da FIFA em transferências internacionais.


Quando Richarlison foi para o Fluminense, fiquei em dúvida se havia sido uma boa para ele, já que tinha receio de seu desempenho – na época, pensei que ele deveria ser reemprestado ao Coelhão para continuar evoluindo. Até porque foram só alguns meses no América, que disputava a Série B à época, um teste nada afirmativo de sua qualidade. Mas Richarlison superou minhas expectativas e foi bem no Rio de Janeiro.


Portanto, é de se esperar que o atacante supere os desafios que se avizinham na Premier League e chegue a uma equipe do primeiro escalão do futebol europeu.


Todos ganharão com isso.