América-MG mantém eficiência e pode embalar na Série B

Mais um jogo em que o Coelhão aproveitou as oportunidades e balançou as redes sempre no momento certo, impedindo qualquer chance de reação ao adversário.


Verdade que o Brasil de Pelotas em nenhum momento incomodou nem ofereceu perigo, mas nós não temos nada a ver com isso, foi assim que o jogo se apresentou. Enfim, a fragilidade ofensiva do adversário não diminui a o trabalho do América.


Três vitórias seguidas e a segunda por 3 a 0 é importante demais, pois coloca o América no G4 e já abre boa vantagem para a segunda metade da tabela. A partir de agora, o objetivo tem que ser manter a eficiência e continuar aumentando essa distância para começar a se firmar no grupo dos promovidos.



O destaque


Com toda a certeza, nosso lateral-esquerdo Pará deve ter sentido um alívio tremendo pelo dever cumprido. Melhor em campo, ele não teve tantos problemas defensivos por causa da inoperância do adversário (até desarmou) e sua confiança o permitiu continuar indo ao ataque.


Pará deu outra assistência, desta vez em cobrança de escanteio, e foi presenteado com uma bela cobrança de falta, no momento certo! Foi um balde de água fria nas pretensões do Brasil de Pelotas, que ali murchou de vez e nem teve chance de pensar em reagir.


Pará está bem confiante, mas terá um desafio importante no próximo jogo. Contra o Paraná Clube fora de casa, é certo que o adversário atacará mais e o lateral precisará mostrar consistência defensiva, pois só assim vai evoluir. Nas poucas investidas do Brasil de Pelotas, há de se notar a cobertura de Rafael Lima, que não deixou passar nenhuma bola.


O armador


Renan Oliveira foi bem demais diante do Luverdense, mas não deu sequência contra o Brasil de Pelotas. Teve inteligência ao aparecer dentro da área para desviar a bola às redes (e isso é suficiente para ele ser elogiado), mas o objetivo pessoal do jogador tem de ser participar da partida durante os 90 minutos.


Renan Oliveira voltou a cair pelos lados e se esconder do jogo, tanto que o armador na prática foi Ernandes. Todos os lances passavam por ele, que ia buscar a bola lá atrás e a fazia rodar no meio-campo.


MOURÃO PANDA/Gazeta Press
MOURÃO PANDA/Gazeta Press

Ernandes participa muito, mas pode evoluir ofensivamente


O pecado do nosso volante foi ter segurado a pelota demais em alguns lances, quando deveria ter arriscado os lançamentos e passes ofensivos. Se ele perceber a fração de segundo certa para passar a bola, terá evoluído bastante individualmente.


Renan Oliveira pode ser mantido como titular, é bom ressaltar. Ruy voltou de contusão e jogou por alguns minutos, o suficiente para dar início à construção do terceiro gol do América.


Foi ele quem tocou para Matheusinho entrar na área e cruzar conscientemente para Bill finalmente quebrar o tabu e marcar seu primeiro gol de bola rolando na temporada. Que ele tenha isolado a zica pelos ares e comece a empurrar a bola para as redes!


Luan versus Evaldo


Nosso atacante foi muito mal tecnicamente. Continua não dominando as bolas e errando passes bobos, precisa de mais precisão nos fundamentos. Além disso, poderia ter atrapalhado o jogo do América num lance absolutamente arriscado. Alguns árbitros dão cartão vermelho numa jogada daquelas, outros não.


Ainda bem que Sávio Pereira Sampaio deu apenas o cartão amarelo. Assim como não deu o amarelo para o zagueiro Evaldo, que chutou a perna de Bill logo aos quatro minutos. Não importa se é no início, tem que aplicar a regra. Ou a lei versa que no início do jogo não é para dar cartão? Contra o Criciúma, Norberto levou amarelo com um minuto ou menos.


Evaldo, logo depois de ter sofrido a falta de Luan, revidou em cima do atacante e deveria ter sido expulso se o árbitro tivesse sido disciplinador, mas levou o primeiro amarelo.


Depois, o zagueiro do Brasil de Pelotas continuou fazendo faltas para amarelo, mas o árbitro segurou sua expulsão até quando foi possível. Somente aos 35 do segundo tempo é que Evaldo finalmente deixou a partida, já estava fazendo hora extra há algum tempo.


Sugestão a Enderson


O Paraná Clube vai atacar muito mais que Santa Cruz, Luverdense e Brasil de Pelotas. Como Luan não está bem, fica a sugestão: dê um descanso para o atacante e aproveite para colocar um terceiro volante (David, por exemplo). Com isso, haverá mais proteção a Pará. Rafael Lima não poderá ficar cobrindo nosso lateral a todo instante, pois pode ter que evitar as investidas pelo centro também. Precisamos continuar não dando chances ao adversário.