América-MG, você é a vergonha da Série B!

Não há absolutamente nada a falar da partida contra o Oeste, pois no lado do América nada aconteceu. Nem ofensiva, nem defensivamente. Se o adversário não fosse fraquíssimo, certamente teria somado três pontos, o que deixaria nossa situação complicadíssima. Se futebol fosse justo, o Oeste teria vencido o jogo, simples assim.


É começo de Série B, mas não tão começo assim. Estamos nos aproximando de 1/3 do campeonato e, hoje, o América briga apenas contra o rebaixamento. Essa é a realidade atual, não adianta pensar diferente.


E os culpados por essa situação lastimável aparecem logo abaixo...


Jogadores


Divulgação Facebook/América Mineiro
Divulgação Facebook/América Mineiro

Algum jogador do América ainda consegue sorrir?


Como vocês, atletas do América, chegam em casa? Não bate aquela vergonha?


Como vocês conseguem dormir tranquilos e satisfeitos com seu trabalho? Ainda dá para sair à rua e relaxar num dia de folga?


Vocês, jogadores do América, estão jogando futebol como DERROTADOS.


Se continuarem assim, ao fim da temporada ninguém vai se interessar em contratá-los, vão ter de encerrar a carreira!


Vocês vão ficar aí parados vendo a história ser escrita? Estão mesmo satisfeitos com o que (NÃO) estão fazendo?


Vocês acham mesmo que o sucesso da carreira de vocês depende só do técnico e da diretoria? Não se enganem, pois vocês deveriam estar jogando por suas famílias, pelos companheiros de time e por si mesmos. Se não quiserem mudar a situação, ela não vai mudar. Nem se estiverem ali o melhor técnico e a melhor diretoria do mundo.


Hoje, vocês, jogadores do América, são DERROTADOS. 


É melhor vocês terem uma conversa séria, todo o elenco. Vocês podem mudar a história que está sendo escrita, mas isso não virá por acaso. Precisa de ENTREGA, ESFORÇO, FORÇA DE VONTADE, RAÇA, COMPANHEIRISMO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO, TREINAMENTO...


E aí, qual vai ser, jogadores?


Técnico


Jeferson Guareze/ Agif/Gazeta Press
 Jeferson Guareze/ Agif/Gazeta Press

Insistir nas mesmas coisas não vai dar resultado diferente


Não há muita coisa mais a falar com você, Enderson Moreira. Você mesmo sugeriu uma grande formação tática (a dos três volantes que na prática são dois meias), vocês mesmo destruiu o que havia proposto. Até o estadual, você cumpriu seu papel, lembrando que só não eliminamos o Cruzeiro porque perdemos dois gols ridículos.


A partir daí, exatamente quando deixou de usar os três volantes (foi na última rodada da 1ª fase do estadual, contra o Villa Nova, lembra?), você se perdeu. E nunca mais conseguiu ter uma boa sequência.


Insiste com três atacantes, mas não os tem. Os homens de lado de campo se cansam rápido e não rendem. E você fica sem atletas para mudar o jogo no segundo tempo. Além disso, perdemos o meio-campo, pois temos um jogador a menos no setor, não protegemos a defesa e levamos gols bobos que não param de acontecer.


E o que você faz para tentar mudar isso?


Continua insistindo na mesma formação, fazendo rodízios entre os jogadores. Como você quer resultado diferente se está fazendo tudo igual? Está perdido e não enxerga alternativas.


Dirigentes


Vocês, diretoria do América, não têm outra opção que não demitir Enderson Moreira. E já está passando da hora, chegamos ao fundo do poço. Se não mandarem o técnico embora, estarão repetindo o grande erro de 2016: A FALTA DE TIMING, que no ano passado foi para contratar visando à Série A.


Não adianta vocês pregarem de revolucionários ao propor manter o treinador num meio em que se demite muito rápido. A demissão é justa não pelos resultados, mas pelo trabalho, pelas decisões (erradas) de Enderson Moreira.


Ceará, Santa Cruz, Figueirense, Náutico, Goiás, Internacional, CRB, Criciúma e Boa Esporte já mandaram para os ares seus comandantes.


E para que vocês vão ficar segurando Enderson? Para entrarmos na zona de rebaixamento e começar o 2º turno apenas querendo se manter na Série B? Pois é para isso que estamos caminhando, basta olhar a campanha, o futebol jogado e a tabela de classificação.


Não há mais argumentos para defender a continuidade deste trabalho. Cuidado, dirigentes, pois até agora estamos vendo a repetição da temporada 2016. Só que dessa vez ainda dá tempo de mudar, para que o fim seja bem diferente do que ocorreu no ano passado.