América-MG e Givanildo: as lembranças dos jogos contra o ídolo

Os jogadores do Coelhão sabem que precisam vencer o Ceará. O jogo desta terça-feira, 21h30, é de suma importância para a sequência da Série B, pois não podemos nos desgarrar do pelotão da frente. 


Para nós, torcedores, no entanto, esse jogo contra os cearenses tem algo especial. O técnico Givanildo Oliveira (Giva Mito para os mais íntimos) enfrentará o clube do qual é ídolo em Belo Horizonte, no NOSSO ESTÁDIO Independência.


Com toda a certeza, alguns americanos vão fazer suas homenagens ao treinador, espero que antes da partida. Afinal, quem é americano deve reconhecer Givanildo Oliveira como uma figura importante (e marcante) em nossa história centenária.


Quanto ao status dele de ídolo do América não há dúvida nenhuma.


A discussão atual que movimenta o debate em torno do assunto nas redes sociais e nas arquibancadas é apenas quanto ao momento atual: se Givanildo ainda é um técnico com capacidade para fazer bons trabalhos, ou se já é ultrapassado. O jogo desta terça-feira não nos dará nenhuma ajuda no debate, não importa como serão os 90 minutos de América e Ceará.


Portanto, a relação de Givanildo Oliveira com a torcida deverá ser apenas pela história...


América vs Givanildo, Ato III


GAZETA PRESS
GAZETA PRESS

Givanildo Oliveira foi campeão da Série B 1997, da Série C 2009 e mineiro de 2016 com o América


6 de junho de 2017 ficará marcado como a terceira vez em que o Coelhão mediu forças contra um time comandado por Givanildo Oliveira em Belo Horizonte. O primeiro encontro ocorreu há 15 anos, mais precisamente em 10 de setembro de 2002.


A Série B ainda nem era de pontos corridos e o Remo, clube de Givanildo, ainda disputava grandes competições. Os dois times estavam separados por apenas um ponto na altura da nona rodada (14 contra 13), com vantagem para os paraenses. Mas o América fez valer o mando de campo e goleou por 4 a 0.


Uma lembrança mais firme na cabeça do torcedor é a de 10 de novembro de 2012. Na 36ª rodada da Série B, o América já não tinha mais chance de acesso e recebeu o ABC de Natal, que precisava de um ponto para escapar do rebaixamento.


O Coelhão era comandado pelo interino Cláudio Prates, o quarto técnico na temporada. Antes, o América havia sido treinado justamente por Givanildo, demitido na 15ª rodada. Milagres assumiu por cinco rodadas como interino, dando lugar a Mauro Fernandes, dispensado uma partida antes do embate com o ABC.


A escalação: Matheus Magalhães; Patrick, Lula, Gabriel Santos e Bryan; Leandro Ferreira, China, Marquinhos Paraná e Rodriguinho; Ewerthon e Fábio Júnior.


Banco de reservas: Jordan, Bruno Maia, Pará (não o atual, claro), Júnior Timbó, Gilberto, Kaká (não o famoso) e Rodrigo Pimpão.


Em ritmo de fim de temporada, o América estava desanimado, mas Rodriguinho continuava mostrando sua qualidade, hoje reconhecida por Tite na seleção brasileira. Que golaço ele fez para abrir o placar, quase não havia ângulo.


O ABC chegou a virar no segundo tempo, mas Júnior Timbó empatou seis minutos depois. Gabriel Santos virou já no fim, mas os potiguares empataram dois minutos depois. Um 3 a 3 até emocionante para dois times sem o que fazer na reta final do campeonato.



Tomara que os torcedores americanos percebam que Givanildo Oliveira não está no banco de reservas do mandante e torçam para o América (alguns costumam confundir ídolo e clube). O América precisa da torcida a favor para se recuperar na Série B.


Curiosidades


- No jogo de 2012, o América teve cinco atletas da base como titulares. Matheus Magalhães (Sporting Braga) e Patrick Vieira (Benfica, deve ser emprestado) estão em bom momento na carreira. Por outro lado, Bryan é fantoche no rival do Zoológico (não joga desde 9 de abril), o zagueiro Lula está no Moto Club/MA (Série C) e o volante China jogou o estadual pelo Villa Nova.


- Leandro Ferreira e Gabriel Santos ainda jogam profissionalmente. O volante de 36 anos está no Tupi desde o estadual (Série C), enquanto o zagueiro de 34 anos defende a Portuguesa/SP na Série D. Ewerthon (ex-Corinthians, foi muito mal no Coelho), Fábio Júnior e Marquinhos Paraná estão aposentados.


- O Pará de 2012 é jogador do Juventude/RS. Júnior Timbó esteve no Juventus/SP na Série A2 do Paulistão, enquanto o zagueiro Bruno Maia (base) é titular no Botafogo/PB, da Série C. O goleiro Jordan (base) é reserva do Anápolis na Série D.


- Rodrigo Pimpão (Botafogo) e Rodriguinho (Corinthians e seleção) são os únicos que fazem sucesso no país.


- Foi no ABC em 2012 que Givanildo conheceu o atacante Rodrigo Silva, jogador do qual o americano bem se recorda. Ele entrou no fim daquele jogo e passou no América no primeiro semestre de 2015, indicado por Givanildo. Fez um gol em nove partidas, não agradou e foi para o Ceará. Hoje está no Brasil de Pelotas, adversário que vamos encarar na Série B.