América-MG precisa expulsar a BWA do Independência

2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016. Agora, 2017...


Parece piada (e é!), mas mal começou mais uma temporada e lá vem de novo a BWA, que agora tem uma joint venture com a LUArenas, empresa francesa que resolveu se abrasileirar para entrar no mercado de administração de estádios no país.


Está mais do que confirmado: os dirigentes da BWA, principalmente o senhor Bruno Balsimelli, VIVEM NO MUNDO DA LUA! Sem o perdão do trocadilho, claro!


Como o Pavilhão Americano já mostrou em fevereiro de 2016 (veja nosso recadinho para a BWA), a tal empresa só pode ampliar qualquer coisa no estádio Independência com o consentimento não só dos 9 presidentes do Coelhão, mas do Conselho Deliberativo. É o que está na lei, não adianta atropelar as normas, mas respeitá-las, algo que só gente séria faz.


Numa entrevista à Rádio Itatiaia (acompanhe o áudio), o superintendente do América, Paulo Assis, pela enésima vez rechaçou que o clube tenha permitido qualquer modificação dentro do estádio do qual é dono! O próprio América já divulgou uma NOTA DE ESCLARECIMENTO


Nem uma cadeira pode ser tirada de lugar, viu?


Ou seja, novamente a BWA/LUArenas atropela as etapas e joga por água baixo qualquer chance de acordo, já que o Conselho Deliberativo do América NÃO VAI ACEITAR NUNCA qualquer pleito dessas empresas, simplesmente em razão do desrespeito e da audácia dos dirigentes das mesmas!


Divulgação/América-MG
Divulgação/América-MG

A BWA ainda não entendeu que o Independência é do América e faz papel de bobo na imprensa


Engraçado é que a BWA não paga o aluguel do Independência ao América desde JANEIRO DE 2016, mas já cometeu a burrice de posicionar os caminhões (segundo matéria do Superesportes) nas portas do Independência.


Vão perder mais dinheiro, porque o América não vai decidir nada em poucas semanas. E duvido que os conselheiros vão dar posição favorável nem em milhares de anos.


Detalhe que, numa entrevista ao Hoje em Dia, o senhor Bruno Balsimelli disse que guarda a estrutura das arquibancadas móveis em Belo Horizonte há algum tempo.


Ora, o aluguel para armazenar equipamentos por tanto tempo (a BWA se ilude na ampliação do Independência há vários anos) já daria para PAGAR O ALUGUEL DEVIDO, não é mesmo? Como assim a empresa quer fazer uma obra que custa muito mais que sua dívida?


Fica parecendo que a BWA já está ciente de sua própria incompetência administrativa para gerir um estádio como o Independência e está doidinha para pular fora do negócio. E talvez esteja forçando a barra para o América mandar essas empresas (agora tem a barraquinha da Tia Lu também) para o MUNDO DA LUA. Motivos não faltam, como o aluguel devido.


Quem sabe os conselheiros do Coelhão não pedem uma reunião com a diretoria e apresentam um documento assinado pela maioria a favor da expulsão desses malucos da administração do NOSSO ESTÁDIO Independência?


Nós americanos já estamos cansados diante das entrevistas estapafúrdias e antiprofissionais do Brunão Mundo da Lua e sua trupe. Parece que chegou a hora de FALAR SÉRIO, algo que a BWA não sabe fazer.


A ação depende dos conselheiros americanos.


VAMOS AGIR?